Seguidores

sábado, 14 de julho de 2012

Será que ele está apaixonado por mim? (Pergunte aos homens)



Como saber se o cara está apaixonado ? Ou apenas querendo levar em banho-maria?
Márcia F.C., 35 anos, SC

Primeira resposta
- O homem apaixonado não nega: Não nega flores, não nega compromisso, não nega fogo, não nega encontro, não nega ligação, não nega vê-la. Paixão tem muito a ver com isso. Com entrega irrefletida. A questão é quem nem sempre (e na maioria das vezes) não queremos deixar a mente ser subordinada ao coração. Penso que os homens - mesmo apaixonados, as vezes, muitas vezes, tempera esse fogo em banho maria, só para não parecer com o esteriótipo de principe encantado. Porque príncipe encantado é meio piegas. Da minha parte acho que uma relação deve ser intensa, apaixonante e quero manter essa água fervendo pelo maior tempo. Como saber se o cara esta apaixonado? Não tente saber - Viva e Aproveite a relação. O tempo vai dar a mistura certa que nem sempre é a Paixão! (Alías - a maioria das vezes não é!)
Marcos, empresário, 42 anos, casado, gosto muito de música, leitura e gente.



Segunda Resposta

Pela maneira como ele a seduz e envolve,  pelos papos que levarem,  pela maneira sutil de se deixar entender.  

Se não está apaixonado, já vai logo querendo levar ela pra cama e pronto.

Em primeiro lugar se encontrarem, se sentirem, ai ela saberá as intenções do cara.
 O paranaense: José Carlos, 49 anos, empresário, divorciado, 2 filhos.  Adoro futebol, cinema, jogar poquer com os amigos, viajar, curtir as boas coisas da vida.

Terceira Resposta
Penso que essa questão não cabe como uma questão de gênero, mas só faz sentido se for analisada à luz de um fenômeno comportamental de qualquer preferência sexual. Homos e héteros apresentam tais comportamentos, porque a questão de "levar em banho Maria" diz respeito ao âmbito do tipo de pessoa que te interessa. O que nos interessa imediatamente em alguém não necessariamente poderá servir de motor para manter o relacionamento por muito tempo...aliáis, no geral, quando começamos a conhecer uma pessoa, de cara já percebemos o que nos agrada ou desagrada em relação a ela. Os sinais do desinteresse são evidentes: falta de entusiasmo em compartilhar coisas que são mostradas por uma das partes no jogo da sedução e um certo distanciamento de uma das partes nos intervalos entre os encontros.

 Muitas vezes, o "levar em banho maria" pode ter diversas motivações:
  •  um certo sentimento de pena - que pressupõe desprezo e culpa pela parte desinteressada no relacionamento- ou por exemplo,
  • a pessoa gostar de algo na outra, mas desgotar de muitos outros traços da personalidade e aí fica indeciso...
De fato, quando nos apaixonamos demonstramos desejo de compartilhar experiências, sensações e situações..até mesmo propor momentos de compartilhar essas coisas. 

Pra mim, amar e ser amado é sempre uma relação de troca, mesmo que esta troca seja feito pela dominação ou pelo livre acordo entre as partes. As relações amorosas são sempre de dois, porque são íntimas e pessoais, mas também são políticas porque são de mais de um!! Elas sempre nos provocam a chocar-nos com a nossa individualidade, porque o "outro", o objeto amado, não é o nosso eu que tanto achamos que conhecemos. 

Penso que pelo amor é que nos conhecemos melhor, porque nos conhecemos como desconhecidos de nós próprios: como diria Rimbaud "Je est un autre". Para mim esta é a beleza do amor: ser indivídual e coletivo ao mesmo tempo, e forçar esse choque entre o individual e o coletivo, entre o eu e o outro, entre o eu e o outro de mim mesmo!!


O carioca: 
Constantino Lucena barreto, professor de filosofia da rede pública estadual do Rio de Janeiro.




MANDE A SUA PERGUNTA PARA: mulheresatitude@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça uma blogueira feliz, deixe teu comentário!!